sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Um ex-guerrilheiro pode se tornar presidente do Uruguai


Mujica, ex-guerrilheiro a um passo da presidência




Reuters


Na década de 1960, Jose Mujica tentou mudar o rumo do Uruguai como um dos líderes do movimento de esquerda. Depois de mais de 40 anos, durante os quais viveu clandestinamente e passou mais de uma década na prisão, aposta em "armas políticas" para ganhar as eleições uruguaias do próximo domingo, 25, e dar à coalizão de esquerda da Frente Ampla um segundo período consecutivo no poder.


Nos últimos anos, Mujica suavizou seu discurso e em maio renunciou ao Movimento de Participação Popular (MPP), um dos grupos mais radicais da coalizão que inclui e membros do Movimento de Libertação Nacional-Tupamaros (MLN-T), a antiga guerrilha urbana à qual pertenceu. "Não creio mais em branco e negro, creio nos tons intermediários. A vida é muito mais complicada e não aceito as dicotomias", disse Mujica, de 74 anos, em uma entrevista a um site de imprensa no Uruguai.


O senador e ex-ministro de Finanças lidera as pesquisas de intenção de voto com cerca de 44%, mas não tem a porcentagem necessária - 50% - para sair vitorioso no primeiro turno das eleições presidenciais.


(...)


O MLN foi uma guerrilha urbana que atuou na década de 60 e no início dos anos 70 e protagonizou enfrentamentos com a Polícia e o Exército e participou de sequestros e assassinatos. Mujica foi detido em 1970, mas conseguiu escapar em duas ocasiões, em uma das quais levou 100 militantes junto por um túnel cavado de sua cela até uma casa próxima.


Um comentário:

sicário-OQÑ se discute disse...

Bom dia!

José Mujica, não é o Zé do caixão?

Falando sério...o cidadão, ex-membro da guerrilha tupamaros, afirmou que já que as propostas de todos os candidatos são parecidas, ele que está na liderança, apela para a união nacional (velha esa conversa não?)e que hoje ele consegue ver o que não via nos anos 60, que a democracia é o caminho....só que a eleição deste democrata é a continuação do governo de Tabaré Vasquez.