quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Papa denuncia o comunismo


Papa denuncia comunismo passado e cinismo atual




O Papa Bento XVI encerrou nesta segunda-feira, durante uma missa em Stara Boleslav, perto de Praga, sua visita à República Tcheca, vinte anos após a queda do Muro de Berlim, denunciando as malfeitorias da época comunista e os males atuais, que são o "cinismo e o relativismo".


Desde sua chegada no sábado à República Tcheca, semanas antes do 20º aniversário da Revolução de Veludo que varreu em 1989 o poder comunista em Praga, e marcou a queda do Muro de Berlim, o Papa alemão falou da "liberação" do país e de seus vizinhos destes regimes opressivos.


O desaparecimento dos poderes impostos pela União Soviética no leste e no centro da Europa permitiu a estes países "assumirem suas responsabilidades na qualidade de atores soberanos", destacou o Papa.


Mais tarde, o Papa afirmou que a sociedade tcheca, fortemente secularizada e da qual somente um terço se declara católica, ainda carrega as feridas deixadas pela ideologia atéia do comunismo.


4 comentários:

Marcelo Delfino disse...

Enquanto isso, aqui neste País de Tolos, há quem queira conciliar cristianismo com comunismo e socialismo.

Stefano disse...

bela denuncia do papa... mas igreja católica não é flor que se cheire...
vai ver o envolvimento desta com pedofilia, nazismo, máfia etc.

Felipe Braga disse...

Tenha dó!
Igreja Católica é uma grande manipuladora. Preza apenas por seus interesses e isso não é de agora, é desde quando surgiu. E o papa ainda quer fazer denúncia?
Anormal seria se uma instituição fascista defendesse o Comunismo.

Stefano disse...

procure saber do caso ustasha... foi terrivel!!!