quarta-feira, 9 de setembro de 2009

MAIS ESTADO, "MENAS" RIQUEZA

Por Aluizio Amorim

Em pronunciamento em rede de televisão, Lula, o Imperador do Brasil, aproveitou o Dia da Independência que se comemora nesta segunda-feira, para lançar perdigotos eivados de ódio, açulando de forma sutil a luta de classes, subvertendo a verdade através do politicamente correto onde se esconde o restolho do esquerdismo falido que só tem lugar no lixo latino-americano.


Logo quem, Lula, o beneficiário do mensalão, o chefão do PT que sustenta no Senado José Sarney, o fiador da desonra e da vergonha que cobre o parlamento brasileiro do qual ele, Lula, tem ódio, como tem o resto de seus seguidores. Acintosamente, convocou os brasileiros a se rebelarem contra as procedentes e importantes discussões pelo parlamento, algo comum nos regimes democráticos, que têm de ser feitas obrigatoriamente, constitucionalmente, em torno dessa nebulosa proposta governamental envolvendo supostas jazidas de petróleo. Afinal, é o próprio Lula quem afirma não saber dimensionar o real potencial dessa reserva dita pré-sal.


Lula só acertou quando qualificou de "interesses menores", as ações da oposição que insiste na necessidade de um debate mais acurado sobre o tal pré-sal, já que os "interesses maiores" são os de Lula e seus sequazes que se apoderaram da Petrobras por meio dos sindicalistas da CUT.


Ora, qualquer pessoa de mediana inteligência sabe perfeitamente que aí está delineada a campanha eleitoral petralha para 2010, que se fundamente no gigantismo estatal. Para a consecução desse sórdido objetivo, Lula e seus petralhas esgoelam o Estado brasileiro com as suas mãos sujas pela lama dos escândalos que patrocinaram nesses quase oito anos de reinado que culminaram recentemente com o nefasto episódio da crise do Senado em razão da maior patifaria já ocorrida no Legislativo brasileiro.


Só mesmo esse bando de botocudos ignorantes que compõem a população brasileira para aceitar placidamente toda essa mentirada marketeira.


Além da manada que baba em torno das bolsas família há ainda uma fatia importante da sociedade brasileira composta pelos empresários e banqueiros que calam ante todas as iniqüidades, mentiras e mistificações vislumbrando a possibilidade de manter de pé o Estado cartorial, ou seja, o patrimonialismo, que nada mais é que a partilha dos recursos do erário entre os ocupantes do poder estatal e seus amiguinhos.


A estatização, que não deu certo em nenhum lugar do mundo, passa a agradar os donos do poder econômico, os grandes empresários e banqueiros que desejam empreender e investir sem correr os riscos inerentes ao verdadeiro capitalismo. Estes são tão oportunistas e dependentes das benesses estatais na mesma medida que os supostos esfaimados que estendem as mãos em busca de sua bolsa família.


A maior esperteza de Lula foi justamente perceber esse vício estatista histórico que domina a maioria da população brasileira totalmente ignorante e estúpida e os “capitalistas” botocudos que não erguem uma parede sem contar com as bonomias e facilidades do Estado.


A execução do projeto lulístico-petralha para o Brasil pode ser resumida, numa frase de viés apedêutico: “mais Estado, “menas” riqueza.




Um comentário:

Lord disse...

Injustiça! Visitem os restos mortais de um blog !
Este blog foi fechado pelo wordpress a mando da poderosa Petrobrás, visitem os restos mortais
http://petrobrasdadosefatos.wordpress.com/
Hoje foi ele amanhã seremos nós!