sexta-feira, 29 de maio de 2009

Vargas Llosa vitima do totalitarismo de Hugo Chávez


O escritor peruano Vargas Llosa, um dos mais renomados escritores da literatura de língua espanhola, foi vitima de mais uma atitude fascista do governo venezuelano. Ele ficou retido durante uma hora e meia no aeroporto de Caracas, junto com o seu filho, e sendo humilhado pelas autoridades local. Ele foi advertido pelo governo, que como estrangeiro, não poderia dar nenhuma opinião sobre as “políticas venezuelanas”, que democrático, não?


Como bem disse Vargas Llosa, “os sistemas antidemocráticos tem medo de idéias”, uma analise perfeita que descreve os “tics nervosos” de Hugo Chávez, que não tolera idéias contrárias ao seu regime socialista, e acusa seus adversários de imperialistas, típico de alguém com mania de grandeza, no qual, o estado serve somente para fazer suas exibições teatrais e populistas. O escritor peruano ainda disse que a Venezuela está indo no mesmo caminho da ditadura cubana, “uma autocracia comunista no modelo cubano”, assim afirmou Vargas Llosa, nada mais preocupante que seguir um sistema totalitário e falido de Fidel Castro, é uma demonstração de que a América Latina está tomando rumos perigosos nas mãos desses ditadores comunistas.


A esquerda ainda continua com o mesmo discurso? Dizendo que na Venezuela tem excesso de democracia? ERRADO! O governo de Hugo Chávez tem excesso de totalitarismo nas veias, as instituições democráticas estão sendo violadas no país, e a America Latina vai sentindo na pele a má herança deixada por Fidel Castro, como bem salientou Vargas Llosa.




Um comentário:

Fábio Argondizo disse...

Obrigado pela força! Nós temos os argumentos certos, agora temos que fazer barulho!
Abraço!