terça-feira, 17 de abril de 2007

Presidente ucraniano quer prisão quem negar crimes de Stalin




A Rada Suprema - ou Parlamento da Ucrânia - aceitou hoje( 29 de Março de 2007 ) a tramitação de um projeto de lei apresentado pelo presidente, Viktor Yushchenko, que contempla penas de prisão para todos que negarem o Holocausto judeu e o genocídio de milhões de camponeses ucranianos por Stalin.


O projeto, que qualifica explicitamente de "genocídio" as tragédias ocorridas nos anos 30 e 40, prevê multas e penas de até dois anos de prisão, informou a assessoria de imprensa da Presidência ucraniana.


Yushchenko, no poder desde janeiro de 2005, considera que a aprovação da nova lei permitirá consolidar a idéia da tolerância zero diante de qualquer forma de violência.


"A adoção da lei responde aos padrões democráticos europeus e contribuirá para aumentar a autoridade da Ucrânia no mundo", assinalou.


Fonte:Yahoo Brasil


Um comentário:

Marcos disse...

Como neto de ucranianos, fico orgulhoso.
É uma medida importantíssima e que, em nosso país, não tem a repercussão que deveria, óbvio.